Imagem capa - Estilo de fotografia, qual o meu? por Jessica Mendes Bezerra
Fotografia

Estilo de fotografia, qual o meu?

Bem, para poder explicar um pouco da minha dinâmica de trabalho acredito que devo começar falando um pouco sobre mim, ou pelo menos tentando, já que essa tarefa não é das mais fáceis... Meu nome é Jessica Mendes, sou caruaruense, tenho 25 anos e o foco da minha carreira como fotógrafa é a fotografia de casamento. Eu, como outros fotógrafos, tenho meu estilo próprio de fotografia, algo que torna meu trabalho único e pessoal.


Não sei se você já leu sobre mim no “quem sou eu”, mas separei um trecho dele que cabe bem aqui:

“Talvez as minhas fotografias falem muito mais sobre mim do que eu poderia dizer em palavras nesse textinho. Minha paixão pela fotografia surgiu de maneira sutil e foi tomando conta da minha vida, me trazendo um crescimento pessoal enorme. Quanto mais busco aprimorar meus registros fotográficos e estilo de fotografia, mais me torno compreensiva e empática, hoje sou muito mais atenta ao outro, aos seus anseios, orgulhos e fragilidades. O meu comprometimento com a fotografia vai muito além do profissional, é um compromisso comigo mesma, fonte de crescimento e autoconhecimento.”


Meu super poder: a fotografia!


É bem isso! Sinto como se minha profissão me desse super poderes e minha arma principal para exercê-los é a fotografia. Através dela posso eternizar momentos únicos e especiais; Posso perpetuar uma expressão de carinho que poderia passar despercebida num evento cheio de distrações, como é uma festa de casamento, por exemplo; Posso fazer alguém recordar um momento muito especial de sua vida a partir de outro ponto de vista; Posso provocar emoções invocando memórias; Posso documentar uma história que será contada e recontada através das gerações.


Como uma super heroína que se preze, minha missão maior é ajudar as pessoas. Não enxergo as pessoas que contratam meu serviço apenas como clientes. Tento me aproximar de cada um deles e entender as suas necessidades. Sei que não é fácil fazer isso e nem sempre eu consigo criar de fato uma intimidade com essas pessoas, mas sempre que consigo percebo que o resultado do trabalho sai muito mais pessoal e consistente.  

                                                                                     


Essa foto foi tirada na festa de casamento de Camila e Rônio. Eu estava trabalhando e tomando uma cervejinha com os noivos no final da festa (é isso mesmo! Além de fotografar eu ainda curto a festa e em alguns casos bebo junto com os convidados sim, porque não?) e minha segunda fotógrafa registrou esse momento de carinho entre mim e a noiva. No final das contas, meu estilo de fotografia torna-se uma ferramenta de conexão entre mim e um ciclo de pessoas de que se renova o tempo inteiro. Acredito que conectar-se com o outro é o melhor caminho para se conquistar bons registros.


Imagino que, se você também é fotógrafo de casamento, e nunca tentou fazer isso antes, deve ta pensando que isso é blábláblá de fotógrafo que não quer passar de fato os seus “truques”, já que no final das contas, tendo feito o esforço de estreitar laços com o cliente ou não, o que supostamente vende seu trabalho são fotos com enquadramento lindo, edição bem feita, tratamento de pele perfeito e etc...


Mas vá por mim, é aí que você se engana! Eu já pensei exatamente assim, acho até que faz parte do processo de conhecimento e amadurecimento na profissão... Você começa buscando por coisas mais superficiais e estéticas, até chegar num ponto em que fica feliz com a qualidade das imagens que consegue produzir com seu equipamento. Só que se você é um amante da saga pelo melhor desempenho fotográfico, logo ficará inquieto novamente com seus resultados.


A reflexão que é de fato responsável por uma grande mudança na sua forma de fotografar e de atrair a atenção de novos clientes se encontra nesse momento. Logo você percebe que o que vende seu trabalho muito mais rápido que a estética dele é a emoção que você desperta através dele. Isso, meu amigo, você pode até conseguir extrair de alguém com quem não tem muita intimidade, mas trata-se de um caminho baseado no acaso.


Quando você conhece bem a pessoa e ela confia em você e se sente confortável com a sua presença, com certeza a captura de um momento comovente ficará mais recorrente em seu trabalho, você começa a sentir quando eles estão prestes a acontecer e já se antecipa.



Meu estilo de fotografia e conhecimentos


Por fim, eu quero deixar bem claro que eu não estou negando a importância da busca por novas técnicas fotográficas, inclusive pretendo dar várias dicas sobre esses assuntos aqui no blog (sinta-se a vontade pra deixar sugestões!).


Porém, antes de passar qualquer receita de bolo, eu preciso dizer que dentre as ferramentas que eu já testei na busca por melhorar meu estilo de fotografia, tratar as pessoas que contratam meu serviço de maneira cada vez mais humanizada e menos robótica com certeza tem sido o diferencial do meu trabalho.


Se você é fotógrafo ou interessado em fotografia, eu só digo uma coisa, teste! E fique ligado no meu blog! Aqui vou passar um pouco de tudo que venho aprendendo ao longo dos anos que trabalho com fotografia de casamento. Mas antes de qualquer coisa lembre-se de não limitar seu contato com as pessoas apenas ao dia de fotografar! Vá além! Depois você me conta o resultado ;)